Nasceu a Beatriz

Relato do Parto

Acordei tarde era  11 hs não estava sentindo nada somente  sono, pois na gravidez toda dormi muitoooo.
O dia tava nublado apesar dos últimos dias ter feito calorão, fui para casa da minha mãe almoçar como sempre  a tarde tinha GO. Almoçamos e fomos para consulta minha mãe foi comigo o consultório da Dr Ana  é em outra cidade pegamos o ônibus fui sentada também a barriga tava enorme, tava bem pesada e cansada os meus pés estava inchado uma bolinha.
Ao chegar no consultório estava lotado como sempre esperamos, esperamos... parecia uma eternidade foi um alivio quando a  media me chamou já tinha visitado o banheiro umas 30 vezes rs já estava anoitecendo.
Começou o procedimento de sempre, verificou minha pressão arterial o que mais preocupava pois passei a gravidez controlando-a e incrivelmente estava ótima, me pesei e foi deitar naquela maca maravilhosa nenhum pouco desconfortável rs precisei de ajuda para deitar, a Dr fez o toque estava tudo bem pegou um aparelho q não sei o nome era parecido com um cristal colocou lá na perseguida (vcs sabem a onde sem detalhes)  rs foi desconfortante mas acredito q foi importante a medica falou olha tó vendo a cabeça  da neném  tem bem pouco cabelo e chamou minha mãe para ver e as duas ficaram lá e eu naquela posição horrível morrendo de vergonha, quando retirou o aparelho comecei sentir um pequeno desconforto nem passava na minha cabeça que naquele momento começava as contrações.

A medica sugeriu que eu fizesse uma cesariana  naquele dia pois a Bia estava muito baixa ,encaixada e queria aproveitar q minha pressão estava ótima esse era o grande medo dela que aumentasse esperando  mais alguns dias, acabei aceitando a sugestão fiquei triste queria um parto normal mas entendi pois  confiava  na doctora sabia q ela estava fazendo o melhor para nós duas... ela me deu os documentos da internação  falou para comparecer ao hospital Casa de Saúde de Santos as 21 hs. 

Sai de lá com aquela dorzinha chatinha que vinha e passava  mau sabia q naquele momento começava meu trabalho de parto, fui para casa da minha sogra a onde eu morava ela estava na cozinha ficamos conversando um pouco minha mãe estava comigo e sentindo a dorzinha que naquele momento vinha com mais frequência.

Meu marido chegou falei que a neném vai nascer naquele dia (ainda não tínhamos concretizado o seu nome somente sugestões) naquele momento eu não sabia o quanto  nossas vidas mudaria,  o quando ela viria para nos unir para sempre....que iriamos amar loucamente, nos deixando forte para corremos por um futuro melhor e acima de tudo nos ensinou ser PAIS conhecendo a Feliz.

E assim fomos num só carro eu, seu pai, a minha mãe, meu pai, tia Tânia depois foi a bisa vó Altair não me recordo se meu tio Marcos estava lá tbem.

Dei entrada 21 hs para fazer uma cesariana me despedi de todos e entrei naquele corredor sozinha morrendo de medo, infelizmente seu pai não pode acompanhar o parto, uma enfermeira com cara de poucos amigos me acompanhou até um quarto com três camas e um banheiro o  ar condicionado tava ligado tava um gelo lá dentro ela  mandou eu tirar a roupa e colocar a camisola e saiu entrei no banheiro e quando tirei minha roupa sinto um monte de água escorrendo na perna molhando o banheiro entrei em desespero pensei fiz xixi e nem senti, e agora imaginei  aquela louca da enfermeira entrando e brigando comigo por te molhado todo o chão pequei os papel toalha e comecei secar ante q ela entrasse, mas não adiantou ela entra e pergunta o q eu estou fazendo?

Falei com a voz tremula fiz xixi e não percebi e tó limpando.
Percebi q ela ficou comovida com a situação e me explicou q tinha estourado minha bolsa que era normal e podia deixar q depois limpariam e falou para me deitar era umas 21 hs 30 min pediu para eu tira a lente de contato (fiquei cega sem ela não vejo pouca coisa) me deitei e a intensidade da dor começou aumentar dava para aquentar mais estava desconfortável  a cada contração levantava da cama e andava pelo quarto sentia q aliviava a dor,  ficar deitada era pior então cada contração andava pelo quarto ,  até a enfermeira mau informada  entrar me vendo andando mandava eu deitar nem respondia deitava na hora quando ela virava as costa pulava da cama e assim ficava.
Esta com sede pois como iria fazer uma cesariana tinha q ficar de jejum, não aquentei bebi água da pia do banheiro.

Quando a  Dr Ana chegou tudo mudou a primeira coisa pedi para desligar o ar condicionado tava morrendo de frio, ela me tratou como se fosse sua filha não saiu do meu lado nenhum minuto, olhou minha pressão e falou q estava ótima se eu queria mesmo um parto normal naquele momento as dores esta insuportável mas persisti falei q sim já tinha aquentado ate ali vamos seguir.

 Ela me levou para o chuveiro e fiquei ali parada sem me mexe com água caindo nas costa nem respirava achando que respirando a dor voltaria  vinham as contrações  e eu pensava meu Deus não vou aguentar a Dr ficou sentada numa cadeira do lado de fora do box falando aguenta  sim Kathia e ali fiquei uma meia hora.

Sai do chuveiro e deitei na cama para fazer o toque e la estava eu com quase 9 dilatação, ela pedi para fazer força fiquei constrangida por esta de frente com a porta ela percebendo colocou o biombo fechando a visão de quem passasse lá fora a enfermeira passa e percebe o biombo entra toda nervosinha falando quem colocou isso ali achando q foi alguma paciente e quando percebe q foi a medica ficou com a cara de bunda (desculpa o palavreado) a Dr falou umas coisinha pra ela que a dor não me deixa lembrar...  naquele momento eu consegui rir com a dor insuportável  ela merecia.

Já estava na hora tinha que ir para sala de parto foi o único momento q Dr sai de perto de mim foi se vestir, foi rápido ela quis pegar a maca mas eu pedi para ir andando me sentia muito melhor andando do que deitada.
Chegando deitei na cama colocaram um soro que acho q era  ocitocina por que as contrações ficaram constante sem intervalo amarraram minhas pernas, esterilizaram o local Dr pedi para não colocar a mão tinha 3 médicos e 3 enfermeiras pediram para fazer força um enfermeiro  quase senta na minha barriga forçando e ás 23 hs e 8 min com 3400 k e 48 cm do dia 12/03/1998 nasce Beatriz colocam era em meu peito e trocamos olhares e naquele momento conheço o verdadeiro AMOR de mãe foi um parto lindo foi um dia q eu renasci como mãe.

Assim nasceu minha primeira filha  Beatriz que hoje faz 16 anos.
--------------------------------------------------------------------------------------------

Fui uma mãe jovem tinha 16 anos  passei por vários momentos difícil com um bb não tive muita paciência em alguns momento por causa disso não me achei uma boa mãe, com o tempo percebi que a Bia veio para caminha comigo para me dar força... pra ser meus olhos... pra me ajudar acrecer com mulher como mãe para me ensinar ter paciência que nada era do jeito q eu queria... as veze ela parece a minha mãe do que eu sua...ela  me ajudar ser uma pessoa melhor hoje não sei viver sem ela .... Filha maravilhosa, companheira, amiga, carinhosa, minha cúmplice , obediente, tranquila uma filha que qualquer mãe gostaria de ter só me da orgulho .

 Tão importante para mim é meu segundo coração tenho tanto medo de perde lá  as vezes vc acha q não... sei que tenho q enfeitar esse medo  pois se pudesse colocaria em baixo da minha asa e ninguém a machucaria, te protegeria por resto da minha vida não posso... vc não é só minha. foi  apenas um empréstimo lembra ???
Hoje não me vejo sem sua companhia, sem teus moumares, sem tuas conversas nada funciona em mim sem meu segundo coração.
São 16 anos juntas o mesmo tempo q passei sem vc e hoje eu digo faria tudo....tudo....tudo novamente para te-la comigo não sei viver sem sua presença. 
Obrigada filha por me ensinar tantas coisas Te amo igual amo suas irmãs quando temos outros filhos o amor não se dividi se multiplica vc um dia saberá disso. 

Feliz Aniversário amor da minha vida que Deus  de muita saúde e continue te abençoando. 

Filha sempre estarei ao seu lado pra tudo nessa vida pode contar comigo ....

Te amo ...te amo minha pedra preciosa meu presente de Deus.









Postagens mais visitadas deste blog

Mãe de Anjo.

Mâes de filho natimorto sofrem com traumas e luto social.

Ultrassom Morfológica.